RinoGas

sábado, maio 21, 2005
vende-se um rim

Vende-se um rim.
Rim charmoso, direito ou esquerdo (à escolha do cliente), cheio de garbo e elegância, bem conservado e de contornos regulares.
Interessados, favor entrar em contato.



O problema dos cartões de crédito é que a gente não sente que gasta. Quer dizer, sente só quando chega a fatura. E eu gasto como se não estivesse gastando, como se tivesse ganho de presente de mim mesmo, sem ter que pagar por, mas depois dói-dói mesmo, muito.



E o problema do dinheiro é que ele nunca pára na minha conta, ele só quica, como aquelas bolinhas de plástico que quicam e quicam e quicam e nunca param onde deveriam parar (que é num saldo com sinal de mais e não de menos). Minha conta é apenas uma escala. Eu ando com analogias de aviação na cabeça. Traumas. Meu salário (ô palavrinha horrível) só pára na minha conta em caso de pouso de emergência ou só para reabastecer rapidinho e sair logo dali.



É verdade que isso aqui quase quase virou um fotolog, mas eu cai em si e resolvi mudar de idéia. Tá certo que estou incapaz de escrever mais que um parágrafo, mas com paciência, carinho e perseverança vou desenferrujando.



E ó, se você não quiser um rim, mas estiver interessado em um pedaço de um fígado, um pâncreas e tal, também tenho. Liga pra mim.