RinoGas

segunda-feira, março 07, 2005
tem carteirinha de estudante?

Era meio assim, nem muito mais, nem muito menos do que a grande maioria das pessoas. Sem grandes defeitos ou grandes qualidades. Uma média de todas as coisas iguais a sua volta. Um emprego mediano, um salário mediano, amigos medianos, namorado mediano. Vivia uma vida pela metade, mas pagava inteira. Segundo o curso recém concluído de economia doméstica, não precisava nem meio que ser gênio em matemática para saber que estava saindo no prejuízo no quesito balanço de vida.
Decidiu mudar, então meio que se casou, não na igreja, só morar junto e ah sim, teve filhos, filhos que já vieram com meio-irmãos, e eram assim meio iguais aos pais, sabe? Meio tronchos e abobados, mas sempre sempre únicos em meio a mesmice ao seu redor. Com os filhos vieram os netos, bisnetos, tataranetos e assim por diante, sempre tudo meio parecido, com gosto de já te vi e déjà vu. E meio viveu e não viveu a sua vida toda pela metade, sempre sempre sentindo falta de alguma coisa que meio não sabia dizer exatamente o que era. E foi quase assim ou bem bem parecido com isso, bem como uma meia furada no calcanhar e meio assim, sem graça e desgastada, eu juro. Talvez faltasse uma meia inteira de verdade.