RinoGas

terça-feira, março 01, 2005
sobre súplicas e blasfêmias

Suplicando por perdão, depois de todas as blasfêmias proferidas, juntou as lágrimas de uma filha praticamente órfã, de um cara emocionalmente frustrado e de uma paraplégica e enviou sua prece mais triste aos céus; (o que é suficientemente triste para se ganhar um Oscar e isso é supostamente muito mais difícil de se conseguir do que agradar a deus), na esperança de ser perdoada pelo seu mau gosto e todas todas as ofensas que porventura ou propositadamente tivesse cometido contra a moral e os bons costumes; principalmente por qualquer sentimento mais nobre que já houvesse sentido por algum lugar, alguma coisa, ou alguém. E jurou que se conseguisse pagar a fatura do cartão de crédito, o crediário das casas Bahia, que se o filho arrumasse um emprego e se o marido parasse de sair com a outra, tendo assim, tudo terminado bem, ou pelo menos só liquidado com as contas, o que já estaria de bom tamanho, iria assim entrar para a Liga das Senhoras Católicas da igreja mais próxima de casa e ter toda a resignação que o mundo lhe exigia que tivesse.